Future Advertising

Texturas e Motivos

Texturas e Motivos

Um dos fatores que da característica a um projeto são os elementos e padrões de preenchimento que foram utilizados m sua confecção, estes padrões são chamados de texturas e motivos.

As texturas utilizam um preenchimento irregular e que não tem repetição, apenas variando tamanho, distancia concentração maior ou menor. Já a os motivos são regulares, os seus elementos são repetidos com o mesmo tamanho e são distribuídos uniformemente.

Ao se trabalhar com texturas e motivos deve ser dada a devida atenção a mídia na qual o projeto será aplicado (papel, tecido, plástico, vidro, Etc.) já que a qualidade e as próprias propriedades do material podem influenciar no resultado final.

O post de hoje é bem pequeno em relação aos outros, mas é de suma importância para os conteúdos futuros, a partir do próximo post o conteúdo ira ficar menos teórico e mais pratico.

O assunto do próximo post é “A Figura e o Fundo” espero você lá.

Até mais.

Ponto e Linha

Ponto e Linha

O ponto é a menor unidade gráfica e, como forma geométrica e raramente é utilizado sozinho. Em termos visuais, o ponto é o foco onde convergem as atenções. E um espaço em branco qualquer, basta inserir um ponto e adivinha? Ele atrai automaticamente a atenção do espectador.

O ponto não precisa ser necessariamente circular para ser reconhecida como um ponto.  Isso vai depender da sua proporção e relação ao fundo (Geralmente muito menor do que o resto do trabalho), ou seja, qualquer figura pode ser considerada um ponto.

Uma linha é uma ligação entre dois pontos. A principal característica da linha é dividir áreas e em geral a linha imprime uma impressão de movimento.

Os pontos sozinhos têm a função de concentrar, já as linhas são dinâmicas. Uma seqüência de pontos tende a ser interpretada como uma linha, por exemplo: na imagem a cima, mesmo em que tirássemos as linhas entre os pontos, ainda estaria visível a sensação de que é uma linha.

Um plano é um deslocamento de uma reta, uma figura, por exemplo: Uma figura que ocupe um pequeno espaço do trabalho é interpretada como um ponto, já se esta mesma figura ocupar uma grande área do trabalho ela é caracterizada um plano.

Os planos podem ser identificados como geométricos e orgânicos. Se o plano é geométrico tem suas bordas bem definidas e da mesma medida, está associado a soluções racionais, intelectuais ou matemáticas por exemplo.  Já um plano orgânico possui formas irregulares e complexas, e é faz referencia a elementos naturais e gera a impressão de espontaneidade. Em ambos os casos os tipos de plano devem ser explorados pelo designer para passar ao espectador a idéia do trabalho.

Outro fator que define as características de um trabalho são as texturas e motivos, mas isto já fica para o nosso próximo post 😉

Espero vocês lá, até mais.

Espaço de Trabalho

Espaço de Trabalho

A primeira coisa a se a fazer antes de criar um novo projeto é considerar o formato com que vai trabalhar. Qual a área? O Formato? Vertical, Horizontal ou inclinado?  Afinal o modo como o espaço é ocupado influencia  diretamente o conteúdo.  Por exemplo: se o espaço for  ocupado por inteiro, trará a impressão de opressão,  caso contrario, poderá sugerir liberdade e leveza. O Formato vertical lembra a elegância, enquanto o formato horizontal lembra a serenidade e a passividade.

Uma figura é sempre considerada um elemento positivo enquanto o espaço ao fundo um elemento negativo.  A figura e o fundo estão relacionados e se um sofre alterações o outro também é influenciado. Entender estes conceitos é primordial para que o resultado seja atraente para o publico alvo.

A relação entre a figura e o fundo deve apresentar uma lógica de acordo com a mensagem que se quer passar para que a comunicação não fique confusa e o design deve ser composto de forma clara e objetiva. Cada elemento precisa se relacionar de forma harmônica e na proporção adequada tanto com os demais componentes quanto com o espaço em que está contido.

Há vários tipos de formas e cada uma delas atua de uma maneira diferente, o modo como serão percebidas as diferenças entre elas é que dará o sentido ao significado. As formas básicas na composição de trabalhos gráficos são: o ponto, a reta e o plano, que são o assunto do nosso próximo post.

Espero que tenham gostado e até mais.

Curso de Design Grafico

Curso de Design Grafico

Desde que acordamos, somos bombardeados por uma serie de estímulos visuais.  No pote de margarina, no pacote de café, no painel do forno de micro-ondas, no dinheiro, no cartão de credito, no talão de cheques, no outdoor na rua, na fachada da empresa, no futureadvertising.wordpress.com(;)), etc.

Uma das razões disto é o interesse cada vez maior das empresas em divulgar o seu produto em meio à concorrência acirrada que é nosso mundo atual. Ter um bom design deixou de ser um quesito a mais e se tornou um fator de sobrevivência para uma empresa se manter no mercado (Afinal, quem não é visto, Não é lembrado!)

Mas como fazer com que os projetos gráficos de sua empresa ou a de seu cliente tenham impacto? Com certeza não existe uma receita de bolo, mas existem algumas dicas que podem ajudar nessa árdua tarefa.

Por estes e vários outros motivos estarei escrevendo uma serie de posts aqui no blog sobre este assunto.  A idéia é passar o conteúdo teórico sobre o assunto como: Teoria das cores, lei áurea, tipologia etc.

O primeiro post da serie será “O Espaço a se trabalhar”.

Espero que gostem, e até lá.

O futuro da Internet no Brasil - Parte 3

O futuro da Internet no Brasil - Parte 3

No ultimo post  eu comentei  sobre a tecnologia PLC ( Powerline Communication) e hoje vou falar sobre um dos assuntos, mais comentados na internet, a tecnologia 3G.

A tecnologia 3G é a terceira geração de padrões de telefonia móvel e uma de suas principais utilizações e a transmissão de internet via telefones celulares e modems 3G.

A maior vantagem da tecnologia 3g é que o sinal é pode ser captado por celulares  ou modems 3G moveis e com isso você acessar a internet de qualquer lugar que tenha cobertura.

Atualmente varias empresas disponibilizam o sinal 3G. Mas o que mais se vê na internet são reclamações como: Baixa velocidade de conexão, pouca cobertura e alto custo do serviço. Existem varias reclamações a Anatel e PROCOM,  afinal  as operadoras apenas “jogaram” o sistema em funcionamento sem maiores testes e sem uma cobertura de qualidade (Como é comum ser feito aqui no Brasil não é? ),a  casos em que o aparelho se encontra muito próximo da torre e mesmo assim a qualidade de sinal é ruim, como o caso relatado neste blog

E então vale a pena contratar um serviço de internet 3G aqui no Brasil? Na maioria das vezes não! Apresar de eu mesmo  a utilizar e estar satisfeito,  o serviço ainda tem falhas e um custo bem alto para os padrões Brasileiros,  então se você tiver outra opção aguarde mais um pouco para contratar um serviço.

A boa noticia e que levando em consideração a trajetória do 3G em outros países como o Japão, Corea do Sul,  Estados Unidos que já a utilizam deste 2003, provavelmente   a cobertura ira aumentar e com o grande numero de empresas que distribui o serviço, provavelmente o valor também ira diminuir.

Alem disso, já existem projetos para implementar uma nova tecnologia de transmissão de dados: a  4G.  A 4G terá velocidades de conexão de até 100Mbps por segundo e começara a ser testada já em 2010 no Japão (que está só uns 10 anos a frente do Brasil, tecnologicamente falando).

Resumindo, as tendências para o futuro da internet aqui no Brasil são animadoras, mas ainda vão demorar um pouco. O jeito mesmo é esperar (e aturar as atuais conexões de internet) para ver o que o futuro nos espera.

Essa serie de posts acaba por aqui, mas espero que tenham gostado e que os dados trazidos tenham sido de uteis.

Qualquer duvida, sugestão ou critica é só mandar um post 😉

Por hoje fico por aqui, mas espero vocês no próximo post Ok?

Abraços e até amanhã.

O Futuro da Internet no Brasil - Parte 2

O Futuro da Internet no Brasil - Parte 2

No ultimo post da serie O futuro da Internet no Brasil eu comentei  como foi criada a internet. Mas e agora? Qual é o próximo passo da internet no Brasil? Qual será a velocidade de Conexão? Qual será o valor? E quando estará acessível?

Na minha opinião a maior ( e também menos divulgada) novidade em relação a acesso a internet no Brasil é o sistema PLC (Powerline Communications) que a Copel (empresa que distribui energia elétrica no estado do Paraná  pretende implantar já em 2010.

Mas o que é o PLC?

A tecnologia PLC (Powerline Communication), que apenas nos últimos anos vem tendo aplicações e usos disseminados a nível mundial e utiliza a rede elétrica de distribuição (tipicamente as redes de média e baixa tensão) como meio de transporte para a transmissão de dados em alta velocidade.

Mas qual a Vantagem da PLC em relação a outros meios?

A PLC permite velocidade de conexão de até 200Mbps e utiliza o cabeamento da rede elétrica de média e baixa tensão(A que todo mundo tem em casa),  sem interferir na condução normal da energia elétrica (Seu microondas não vai começar a acessar o Google, ainda…) Como conseqüência transforma potencialmente cada tomada de energia já existente em um ponto de acesso a uma rede de comunicação de dados.

Mas como eu vou utilizar isso?

Em uma rede normal é instalado um equipamento denominado ´Head End´ ou ´Mestre´ (Master) em algum ponto da rede de baixa tensão.  Este equipamento converte a freqüência da rede elétrica em sinal de internet.

Isso já foi testado?

Diversas experiências já foram realizadas no Brasil, no sentido de se avaliar as potencialidades da tecnologia PLC para transmissão de voz e dados pela rede elétrica. As concessionárias Eletropaulo (São Paulo, SP), CELG (Goiânia, GO), CEMIG (Belo Horizonte, MG), COPEL (Curitiba, PR) e Light (Rio de Janeiro, RJ), fizeram experiências piloto, todas com sucesso.

Tá até agora ta uma maravilha, mas é o custo?

Segundo a emprasa Copel (Uma das fornecedoras do serviço), a empresa não definiu um preço para o serviço, mas simulações apontaram para rentabilidade entre 20% e 700%. “Varia muito, cada projeto tem um custo diferente. Mas, evidentemente, não vamos buscar um retorno de 700%. Nesses casos, o usuário é que pagará menos.” , conta o diretor-presidente da Copel, Rubens Ghilardi (Duvido! Você acha que  eles não vão se aproveitar da situação)

Resumindo… a tecnologia PLC,  só tem a trazer vantagens para o usuário (e também para as empresas) , mais velocidade,  maior facilidade de instalação (só precisa de energia elétrica e o ´Head End´) e um ótimo custo beneficio. Agora é so esperar a idéia sair do papel e rezar para a qualidade ser realmente como falam.

Este post fica por aqui, mas a serie não acabou ainda não, no próximo post vou discutir sobre a tecnologia de transmissão de dados mais falada atualmente, o 3G.

Abraços e até o próximo post.

O Futuro da Internet no BrasilA Internet nasceu em 1969, nos Estados Unidos. Interligava originalmente laboratórios de pesquisa e se chamava ARPAnet (ARPA: Advanced Research Projects Agency).
Era uma rede do Departamento de Defesa norte-americano. Era o auge da Guerra Fria, e os cientistas queriam uma rede que continuasse de pé em caso de um bombardeio. Surgiu então o conceito central da Internet: é uma rede em que todos os pontos se equivalem e não há um comando central. Assim, se B deixa de funcionar, A e C continuam a poder se comunicar.

O nome Internet propriamente dito surgiu bem mais tarde, quando a tecnologia da ARPAnet passou a ser usada para conectar universidades e laboratórios, primeiro nos EUA e depois em outros países.

Por isso, não há um único centro que “governa” a Internet. Hoje ela é um conjunto de mais de 40 mil redes no mundo inteiro. O que essas redes têm em comum é o protocolo TCP/IP (Transmission Control Protocol/Internet Protocol), que permite que elas se comuniquem umas com as outras. Esse protocolo é a língua comum dos computadores que integram a Internet.

Deste 1969 a internet vem evoluindo cada vez mais rápido, atualmente mais de 1 Bilhão de pessoas tem acesso a internet de alguma maneira (casa, emprego, faculdade,etc…).

Com chegada da tecnologia 3G no Brasil , este numero vai aumentar cada vez mais.

Agora Celulares,  palms, notebooks e computadores residências já podem se conectar a internet utilizando esta tecnologia. (Como é o meu caso) , mas e agora qual é o próximo passo da internet no Brasil? Qual será a velocidade de Conexão? Qual será o valor? E quando estará acessível?

Quem quiser saber as respostas é só ler a serie de posts sobre o futuro da internet no Brasil que estarei postado aqui no FutureAdvertising.

Espero que gostem e até o próximo post.

Mais Acessados

  • Nenhum

Agenda

julho 2017
D S T Q Q S S
« jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Páginas

julho 2017
D S T Q Q S S
« jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031